terça-feira, 6 de setembro de 2016

Mix Media Morsels #29

Olá a todos,
Comecei o meu segundo Morsel, #29, deixo-vos o video para vocês se regalarem com o efeito estético, simples mas muito giro.

Várias hipóteses de materiais poderiam ser usados para o efeito escolhi os lápis aquareláveis que tenho, conjugados com o lápis misturador e o abrilhantador da Derwent. Admito que no fim com a junção da água gostei muito mais do efeito dos lápis antes, com os seus brilhos e luminosidade do que depois, devido principalmente a ter colocado água a mais.

No fim acrescentei o contorno a caneta preta para maior definição. Parece uma pedra preciosa multicolorida. 

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

A Última Carta de Amor, de Jojo Moyes

Adorei.
Esta história cruza duas vidas, uma no tempo actual a outra na década de 60. Ambas relatam mulheres com os seus percursos e escolhas numa determinada altura da sua vida, principalmente em que duvidam do seu futuro e têm plena noção do que querem, o que não quer dizer que o consigam. O principio torna-se um pouco confuso com tantos saltos entre estes dois espaços temporais mas quando a história adensa-se já nem notamos e eles diminuem.
Ellie é jornalista e anda com um homem casado. Tem questões sobre o que será o amor e como o conseguir, devido ao namorado começou com problemas no trabalho e questiona tudo um pouco na sua vida. Mas o trabalho tem de se ser feito e ao procurar por um artigo encontra uma carta apaixonada que a faz repensar na sua própria vida.
Jenny é casada, encontramos-a a recuperar de um acidente automobilistico e não tem memória da sua vida. Familia, amigos e médico dizem que se lembrará a seu tempo, familia e amigos dizem como se comportar e o que fazer mas algo está diferente e Jenny no principio não se apercebe que é ela própria. Ao longo da história dentro da história reconhecemos o crescimento desta personagem de estereotipo de senhora casada, sem pensamentos pessoais, e de boas familias para uma mulher independente, que tenta ajudar os outros e toma decisões, mesmo que a medo.
Sinopse:
Inglaterra, 1960. Quando Jennifer Stirling, uma mulher de vinte e sete anos, acorda no hospital, após um trágico acidente de automóvel, não tem qualquer lembrança da sua vida passada. Não reconhece o marido, não recorda a sua própria casa e tão-pouco se identifica com a vida que lhe dizem ser a sua. Quando encontra uma carta apaixonada, escrita por um homem que assina apenas «B» e que lhe pede para abandonar o marido, irá a todo o custo tentar descobrir a identidade desse homem, enquanto enfrenta os preconceitos sociais estabelecidos.Anos volvidos, em 2003, uma outra mulher, Ellie, descobre nos arquivos poeirentos do jornal onde trabalha a mesma carta enigmática. Fica de imediato obcecada pela história, que lhe permitirá escrever um artigo que relance a sua carreira e talvez até a ajude a lidar com a sua própria vida amorosa. Afinal, se aquela história tiver tido um final feliz, quem lhe garantirá que o homem com quem se envolveu não acabe também por deixar a mulher?Uma história de amor apaixonante e arrebatadora, com um final absolutamente inesperado.
Boas leituras

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Philomena Shawlette - update

Olá a todos
A vida continua e temos tido um tempo bom que irá ficar ainda mais quente, preparem-se. Mostro fotos atualizadas do meu WIP.
Cá está com novas cores, que coloquei no meio do amarelo, para quebrar um pouco e não ser tão monotono num só tom, tem vermelho e verde. Falta pouco para terminar, finalizar as últimas linahs do amarelo, fazer as borlas e colocá-las nas pontas mais largas do trabalho. E depois rematar.



 Quando terminar virei mostrar-vos.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Livros ^_^

A prenda de mim para mim, não resisti...
São eles:
- Rosa Brava, de José Manuel Saraiva,
- Fazes-me falta, de Inês Pedrosa,
- A Última carta de amor, de Karen Norton,
- Renascença - Assassin's Creed, de Oliver Bowden 
^_^

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Animating Maria, de M. C. Beaton

Pequeno livro mas com grande emoção. 
Romance com duas irmãs, Amy e Effy, que dão aulas de etiqueta, para as meninas/senhoras da sociedade que têm em falta qualquer coisa de estilo/modos ou um bom partido para o casório, e cobrando um preço pelo serviço. As mulheres na altura somente trabalhavam as da classe baixa, as da classe alta precisavam de arranjar um bom marido/partido e para tal eram instruidas na arte de bem receber, cozinha, bordados e piano. 
Neste volume temos a história de Maria Kendal, que é uma menina prendada, de bons costumes e rica (então qual é o seu problema casadoiro? perguntam vocês). Sonha acordada, vive no mundo das nuvens constantemente e não enfrenta a realidade, apesar de ter um boa dose de senso comum principalmente no que se refere aos seus pais.
As duas irmãs da sociedade londrina, a iniciar a sua terceira idade, que se vêem sem dinheiro e necessitam de arranjar um rendimento estável, aceitam mais uma tutela, Maria. Elas discutem constantemente sobre e aliciando os homens da sua beira, atazanando-os um pouco, pois procuram tal e qual como na juventude, um bom partido. A personagem de Amy, empresta o lado corajoso ao livro bem que um pouco amalucado.
Gostei e recomendo.
Sinopse:
If you have a Wild, Unruly, or Undisciplined Daugher, two Ladies of Genteel Birth offer to Bring Out said Daughter and Refine what may have seemed Unrefinable. We can make the Best of the Worst'When Amy and Effie Tribble, two charming but impoverished spinster sisters, lose out on an inheritance, they place this advertisement in The Morning Post and hire themselves out as professional chaperones. Vowing to prepare even the most difficult misses for marriage, the Tribble sisters will spend a London season on each client, educating them in their School for Manners.Maria Kendall is seemingly a dream client - beautiful, impeccably mannered, effortlessly graceful and extremely well dowered. In short, she doesn't seem to need the Tribbles' help at all. But then the sisters meet her parents and realise that they do have a problem on their hands - not with the perfect Maria, but with her overweening, gauche and socially over-ambitious parents!
Boas leituras

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Blue Bloods, de Melissa de la Cruz

Livro pequeno, de leitura fácil.
Demora a desenvolver, para chegarmos ao cerne do enredo do livro somente quase a meio (página 150) é que nos é apresentado o que realmente são as personagens principais, vampiros. Bastante descrições, prolongadas até, de moda e seus costureiros bem como de comida, estamos no patamar dos muito ricos tudo deslumbrante e caríssimo e sempre uma aura de mistério sobre a nossa heroína, Schuyler, e sobre o que possa existir para explicar a diferença entre ela e os outros.
Schuyler tem quinze anos, de uma família antes rica, pertencente aos chamados Blue Bloods, que frequenta a escola, especifica para a sua raça, onde acomtecem coisas estranhas aos seus que supostamente não deveriam acontecer.
Sinopse:
When the Mayflower set sail in 1620, it carried on board the men and women who would shape America: Miles Standish; John Alden; Constance Hopkins. But some among the Pilgrims were not pure of heart; they were not escaping religious persecution. Indeed, they were not even human. They were vampires.The vampires assimilated quickly into the New World. Rising to levels of enormous power, wealth, and influence, they were the celebrated blue bloods of American society. The Blue Bloods vowed that their immortal status would remain a closely guarded secret. And they kept that secret for centuries. But now, in New York City, the secret is seeping out. Schuyler Van Alen is a sophomore at a prestigious private school. She prefers baggy, vintage clothes instead of the Prada and pearls worn by her classmates, and she lives with her reclusive grandmother in a dilapated mansion. Schuyler is a loner...and happy that way. Suddenly, when she turns fifteen, there is a visible mosaic of blue veins on her arm. She starts to crave raw food and she is having flashbacks to ancient times. Then a popular girl from her school is found dead... drained of all her blood. Schuyler doesn't know what to think, but she wants to find out the secrets the Blue Bloods are keeping. But is she herself in danger?
Boas leituras

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Philomena Shawlette

Olá 
Espero que estejam a ter umas boas férias, após algumas caixas arrumadas e o principio de cada coisa em seu lugar descansar e divertir, afinal estou de férias. Bem, para recuperar a minha sanidade mental voltei para o croché e tentar os meus dedos em pontos rendados, aparentemente. Após cuscar pela net decidi-me por um esquema da FiberFlux.
     
Escolhi um xaile, com forma de trapezóide, para esta iniciação, xailes dão sempre muito jeito.
Mostro o que fiz nas fotos acima, não é muito mas já saí da minha zona de conforto pois aperto muito o ponto e aqui têm de ser feito de forma larga. entretanto vi mais uns filmes...
Ainda não mostrei o xaile Larkspur não está esquecido, em breve mostro-o terminado. 
Até breve