quinta-feira, 14 de junho de 2018

A Paixão de Emma

Leitura rápida.
Encontramos Emma e a sua situação deveras peculiar, filha primogénita que apesar da idade ainda não casou e da qual o pai deseja-se livrar dela, que se torna mais esquisita quando viaja para Inglaterra para se casar com Julius Aubrey. 
Emma espera muito desta viagem e por consequência do seu casamento mas não nada é o que parece. O marido é mais como um irmão para ela, isolada, fechada em casa sem possibilidade de sair de casa e socializar, torna-se poetisa para expor os seus sentimentos pelo marido.
Julius é um enigma pois nunca conseguimos saber muito da sua personagem, a não ser que é um homem muito ocupado, a fábrica é dele e está em crescimento exigindo muito da sua atenção.
Só quase no fim é que certas coisas fazem sentido e é quando aparece, com mais frequência e caracterização, o irmão de Julius, Theodore, jogador inveterado da má sorte, pois faz batota para roubar o dinheiro aos outros, gémeo idêntico de Julius.
Ficou um pouco aquém do que prometia.
Sinopse:
Emmaline sempre ouvira a mãe dizer que, como a mais velha de quatro irmãs, casar deveria ser a sua prioridade e dever. Contudo, o tempo passava sem que se vislumbrasse qualquer proposta de casamento. Até que num baile organizado em sua casa, um belo desconhecido a convida para dançar. Ele chama-se Julius e, na manhã seguinte, pede a sua mão. Cheia de esperança e vontade de começar uma nova vida, Emmaline deixa a América rumo a Inglaterra. Porém, quando chega, depara-se com uma casa estranha, repleta de pessoas invulgares e criados excêntricos. Um cenário bastante distante do glorioso lugar que Julius lhe descrevera. Na verdade, à medida que os dias passam, o próprio noivo parece ter-se tornado irreconhecível. Emmaline sente-se cada vez mais só e infeliz, chegando até a pôr em causa o futuro da relação. Mas isso é antes de o passado de Julius, e a história daquela enigmática casa, lhe serem desvendados. 
Boas leituras

domingo, 10 de junho de 2018

The lake house, de Kate Morton

 Livro de grande dimensão que relata a história da família Edevane desde a Primeira Grande Guerra até ao momento presente. 
 Existem dois tempos fundamentais no livro, durante a década de 1930, que visitamos através de algumas personagens e por meio de alguma memória, carta ou imagem, bem como alguns anos ainda anteriores a este período, e o momento presente, 2003, em que Sadie através do seu dilema pessoal se afasta de Londres e visita o seu avó em Cornwall.
Sadie foi forçada a sair de circulação por uns tempos, problemas na policia devido a um caso seu recente levaram a uma visita forçada ao avô, aborrecida de morte no campo por não poder voltar ao trabalho, imersa em corridas acompanhada pelos cães do avô e a casa do lago com o seu mistério, um menino desaparecido a muito tempo, caso policial nunca desvendado.
Ao lermos apercebemos-nos de dois mistérios existentes, um relacionado com o caso policial de Sadie e o outro com o menino Theo mas existem mesmo assim outras questões não resolvidas que Sadie vai por a descoberto, que na altura a família desconhecia. Temos o caso amoroso de Benjamin Munro, a vingança de Constance, o sofrimento de guerra de Anthony (Daddy) e o primeiro romance escrito de Alice.
Existem voltas e reviravoltas ao enredo principal dois casos de investigação policial e um menor relativo a própria Sadie, a sua filha dada para adopção, quando ainda andava nos tempos de liceu. Os casos que investiga trazem memórias do seu tempo e as similaridades existentes entre eles relaciona-os com a sua filha e o desejo da mesma de a conhecer. Sadie fica apavorada.
O fim, acho que nunca imaginaria um circulo tão completo numa história deste género, e que foca-se no realismo mágico não conhecido nesta autora, tudo fica em bem. Não me levem a mal eu gostei do fim mas acho que não se encaixa na história.
Sinopse:
An abandoned house...
June 1933, and sixteen-year-old Alice Edevane is preparing for her family's Midsummer Eve party at their country home, Loeanneth. But by the time midnight strikes and fireworks light up the night skies, the Edevane family will have suffered a loss so great that they leave Loeanneth forever.
A missing child...
Seventy years later, after a particularly troubling case, Detective Sadie Sparrow retreats to her beloved grandfather's cottage in Cornwall. Once there, she stumbles upon an abandoned house, and learns the story of a baby boy who disappeared without a trace.
An unsolved mystery...
Meanwhile, in her elegant Hampstead home, the formidable Alice Edevane, now an old lady, leads a life as neatly plotted as the bestselling detective novels she writes. Until a young police detective starts asking questions about her family's past, seeking to resurrect the complex tangle of secrets Alice has spent her life trying to escape...
Boas leituras

domingo, 3 de junho de 2018

Crochet Scarf Tutorial Easy #5

Olá
Apesar de no post de 23 janeiro ter mostrado 4 novelos para trabalhar decidi alterar a última cor, que era branco cru, para algo mais colorido. Após muito mandriar, não queria fazer com aquela cor lá escolhi a cor 2078T da mesma marca anteriormente utilizada.

 Comecei na sexta a fazer o meu último cachecol em triângulo e deixo fotos de como está e das belíssimas cores do meu novelo.


Até breve 

sábado, 19 de maio de 2018

Lettering: F e D

Neste segundo trabalho, o fundo ficou branco e utilizei canetas na cor sépia, de várias grossuras, para delimitar os espaços das letras e enfeites utilizados no seu interior. Inclui ainda alguns extra da caixa da tralha desirmanada como  a estrela e a rena.



Até breve

Lettering

Passeando pela net encontrei a imagem acima. Trabalho que pertence a Mandy Russel, inclui até uma aula realizada pela autora no site Clothpaperscissors, e é um exemplo de lettering. O que é isto do lettering? procurei por uma definição mas não encontrei uma recolhi vários pequenos textos com algumas definições encontradadas no próprio site.
Calligraphy and collage artist Sabine Pick’s lettering tells stories in curves, lines, and smudges. Simple words and phrases, full of movement and texture, exude emotion. Pick’s letters marry calligraphy and art, raising lettering to new heights. We hope you enjoy her story and her “perfectly imperfect” art.

I like playing around with letterforms and looking at old scripts and manuscripts to see if I can change them, ...

“Emotional, physical and real, the art of hand-lettering reminds us we are human.” So much of the evidence of our humanity is disappearing due to technology.

fonte: entrevista a Sabine Pick da Clothpaperscissors
 Acho que estou viciada, a colagem e depois os arabescos com caneta dão um ar profissional que nunca imaginei para algo tão simples. Como o meu jornal é de folha branca ainda utilizei aguarelas para dar cor ao fundo, cores ao calhas, para sobressair o que lá colocasse. Além de pequenos pedaços de papel estampado inclui igualmente outras peças, pequeninas, que estavam na caixa da tralha desirmanada. Esta caixa contém várias peças pequenas, sem um objetivo especifico e para uso futuro em trabalhos criativos. Depois foi só dar forma e criar arabescos com canetas de cor preto e de várias grossuras.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Todos os dias são meus

Leitura rápida e divertida, livro pequeno. Caraterização de um prédio com personagens tipicas do povo português em que podemos reconhecer algum vizinho ou amigo. É nos descrito as personagens começando de cima para baixo, 5º andar com a suposta porteira e o seu relato com o conhecimento da vitima, o leitor procura no seu papel de policia saber o que acontece à inquilina do 3º andar.
No meio destes relatos encontramos capitulos-separadores com Razão ("A razão de me encontrar aqui." pág. 18), alguns pensamentos pela voz da vitima sobre a sua vida presente, a sua história inicial inexistente, suas taras e manias e alguns vislumbres para o que vai lhe acontecer.
Gostei.
Sinopse:
Um thriller surpreendente e de ir às lágrimas que é também um retrato irónico da sociedade portuguesa, seus tiques e manias.Um livro cheio de inteligência e humor que explora os tiques e as vicissitudes de personagens que todos reconhecemos do prédio, do local de trabalho ou até mesmo das nossas amizades.É raro a literatura portuguesa apresentar uma mistura tão fina de sensibilidade e ironia. Mais ainda quando garante uma grande dose de humor.
Boas leituras