domingo, 1 de julho de 2018

Bless you

 Tentava criar algo para o desafio 6x6 Challenge, do grupo/blog Artful Evidence, mas não resisti a imagem do olho em violeta, cortada de uma revista. Saiu esta página composta, com as cores branco, violeta, rosa e azul, e a imagem alterada para condizer com as cores utilizadas em toda a peça, e para parecer mais real. Adição de 3 borboletas em branco, excerto de árvores em branco e azul e título em rosa/castanho. O título, pequeno texto recortado de um pacote de lenços de papel, em plástico, colado em cartão.

quinta-feira, 28 de junho de 2018

FIA 2018

Olá,
Hoje foi dia de ir passear, nada melhor do que ir à feira de artesanato. Lá encontrei as associações de artesãos do costume, algumas lojas com banca, workshops interessantes mas com pouco tempo para ir a algum, e o 2º pavilhão da feira com a parte internacional.
Da parte dos artesãos muitos itens interessantes mas admito que fui só ver, eu sei é muito mau para o negócio (deles) mas a minha ideia nesta viagens é mesmo cuscar e ver as novidades, que este ano mantêm-se na costura. Encontrei alguns itens que adorei e não consegui lá deixar, mostro fotos:
3 stencils + 1 conj. de flores de papel (adoro o grande com várias partes diferentes)


Dª Luisa foi muito simpática e até ofereceu dica para trabalhar um projeto com o linho.


 
E o novelo Nenúfar, com muitas cores, muito difícil a escolha recaiu num de 100% algodão.
 
Para o jantar, escolhi indiano, a versão vegetariana em mini prato, para variar da sandes de presunto em geral oferecida.
Até breve

quinta-feira, 14 de junho de 2018

A Paixão de Emma

Leitura rápida.
Encontramos Emma e a sua situação deveras peculiar, filha primogénita que apesar da idade ainda não casou e da qual o pai deseja-se livrar dela, que se torna mais esquisita quando viaja para Inglaterra para se casar com Julius Aubrey. 
Emma espera muito desta viagem e por consequência do seu casamento mas não nada é o que parece. O marido é mais como um irmão para ela, isolada, fechada em casa sem possibilidade de sair de casa e socializar, torna-se poetisa para expor os seus sentimentos pelo marido.
Julius é um enigma pois nunca conseguimos saber muito da sua personagem, a não ser que é um homem muito ocupado, a fábrica é dele e está em crescimento exigindo muito da sua atenção.
Só quase no fim é que certas coisas fazem sentido e é quando aparece, com mais frequência e caracterização, o irmão de Julius, Theodore, jogador inveterado da má sorte, pois faz batota para roubar o dinheiro aos outros, gémeo idêntico de Julius.
Ficou um pouco aquém do que prometia.
Sinopse:
Emmaline sempre ouvira a mãe dizer que, como a mais velha de quatro irmãs, casar deveria ser a sua prioridade e dever. Contudo, o tempo passava sem que se vislumbrasse qualquer proposta de casamento. Até que num baile organizado em sua casa, um belo desconhecido a convida para dançar. Ele chama-se Julius e, na manhã seguinte, pede a sua mão. Cheia de esperança e vontade de começar uma nova vida, Emmaline deixa a América rumo a Inglaterra. Porém, quando chega, depara-se com uma casa estranha, repleta de pessoas invulgares e criados excêntricos. Um cenário bastante distante do glorioso lugar que Julius lhe descrevera. Na verdade, à medida que os dias passam, o próprio noivo parece ter-se tornado irreconhecível. Emmaline sente-se cada vez mais só e infeliz, chegando até a pôr em causa o futuro da relação. Mas isso é antes de o passado de Julius, e a história daquela enigmática casa, lhe serem desvendados. 
Boas leituras

domingo, 10 de junho de 2018

The lake house, de Kate Morton

 Livro de grande dimensão que relata a história da família Edevane desde a Primeira Grande Guerra até ao momento presente. 
 Existem dois tempos fundamentais no livro, durante a década de 1930, que visitamos através de algumas personagens e por meio de alguma memória, carta ou imagem, bem como alguns anos ainda anteriores a este período, e o momento presente, 2003, em que Sadie através do seu dilema pessoal se afasta de Londres e visita o seu avó em Cornwall.
Sadie foi forçada a sair de circulação por uns tempos, problemas na policia devido a um caso seu recente levaram a uma visita forçada ao avô, aborrecida de morte no campo por não poder voltar ao trabalho, imersa em corridas acompanhada pelos cães do avô e a casa do lago com o seu mistério, um menino desaparecido a muito tempo, caso policial nunca desvendado.
Ao lermos apercebemos-nos de dois mistérios existentes, um relacionado com o caso policial de Sadie e o outro com o menino Theo mas existem mesmo assim outras questões não resolvidas que Sadie vai por a descoberto, que na altura a família desconhecia. Temos o caso amoroso de Benjamin Munro, a vingança de Constance, o sofrimento de guerra de Anthony (Daddy) e o primeiro romance escrito de Alice.
Existem voltas e reviravoltas ao enredo principal dois casos de investigação policial e um menor relativo a própria Sadie, a sua filha dada para adopção, quando ainda andava nos tempos de liceu. Os casos que investiga trazem memórias do seu tempo e as similaridades existentes entre eles relaciona-os com a sua filha e o desejo da mesma de a conhecer. Sadie fica apavorada.
O fim, acho que nunca imaginaria um circulo tão completo numa história deste género, e que foca-se no realismo mágico não conhecido nesta autora, tudo fica em bem. Não me levem a mal eu gostei do fim mas acho que não se encaixa na história.
Sinopse:
An abandoned house...
June 1933, and sixteen-year-old Alice Edevane is preparing for her family's Midsummer Eve party at their country home, Loeanneth. But by the time midnight strikes and fireworks light up the night skies, the Edevane family will have suffered a loss so great that they leave Loeanneth forever.
A missing child...
Seventy years later, after a particularly troubling case, Detective Sadie Sparrow retreats to her beloved grandfather's cottage in Cornwall. Once there, she stumbles upon an abandoned house, and learns the story of a baby boy who disappeared without a trace.
An unsolved mystery...
Meanwhile, in her elegant Hampstead home, the formidable Alice Edevane, now an old lady, leads a life as neatly plotted as the bestselling detective novels she writes. Until a young police detective starts asking questions about her family's past, seeking to resurrect the complex tangle of secrets Alice has spent her life trying to escape...
Boas leituras

domingo, 3 de junho de 2018

Crochet Scarf Tutorial Easy #5

Olá
Apesar de no post de 23 janeiro ter mostrado 4 novelos para trabalhar decidi alterar a última cor, que era branco cru, para algo mais colorido. Após muito mandriar, não queria fazer com aquela cor lá escolhi a cor 2078T da mesma marca anteriormente utilizada.

 Comecei na sexta a fazer o meu último cachecol em triângulo e deixo fotos de como está e das belíssimas cores do meu novelo.


Até breve 

sábado, 19 de maio de 2018

Lettering: F e D

Neste segundo trabalho, o fundo ficou branco e utilizei canetas na cor sépia, de várias grossuras, para delimitar os espaços das letras e enfeites utilizados no seu interior. Inclui ainda alguns extra da caixa da tralha desirmanada como  a estrela e a rena.



Até breve

Lettering

Passeando pela net encontrei a imagem acima. Trabalho que pertence a Mandy Russel, inclui até uma aula realizada pela autora no site Clothpaperscissors, e é um exemplo de lettering. O que é isto do lettering? procurei por uma definição mas não encontrei uma recolhi vários pequenos textos com algumas definições encontradadas no próprio site.
Calligraphy and collage artist Sabine Pick’s lettering tells stories in curves, lines, and smudges. Simple words and phrases, full of movement and texture, exude emotion. Pick’s letters marry calligraphy and art, raising lettering to new heights. We hope you enjoy her story and her “perfectly imperfect” art.

I like playing around with letterforms and looking at old scripts and manuscripts to see if I can change them, ...

“Emotional, physical and real, the art of hand-lettering reminds us we are human.” So much of the evidence of our humanity is disappearing due to technology.

fonte: entrevista a Sabine Pick da Clothpaperscissors
 Acho que estou viciada, a colagem e depois os arabescos com caneta dão um ar profissional que nunca imaginei para algo tão simples. Como o meu jornal é de folha branca ainda utilizei aguarelas para dar cor ao fundo, cores ao calhas, para sobressair o que lá colocasse. Além de pequenos pedaços de papel estampado inclui igualmente outras peças, pequeninas, que estavam na caixa da tralha desirmanada. Esta caixa contém várias peças pequenas, sem um objetivo especifico e para uso futuro em trabalhos criativos. Depois foi só dar forma e criar arabescos com canetas de cor preto e de várias grossuras.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Todos os dias são meus

Leitura rápida e divertida, livro pequeno. Caraterização de um prédio com personagens tipicas do povo português em que podemos reconhecer algum vizinho ou amigo. É nos descrito as personagens começando de cima para baixo, 5º andar com a suposta porteira e o seu relato com o conhecimento da vitima, o leitor procura no seu papel de policia saber o que acontece à inquilina do 3º andar.
No meio destes relatos encontramos capitulos-separadores com Razão ("A razão de me encontrar aqui." pág. 18), alguns pensamentos pela voz da vitima sobre a sua vida presente, a sua história inicial inexistente, suas taras e manias e alguns vislumbres para o que vai lhe acontecer.
Gostei.
Sinopse:
Um thriller surpreendente e de ir às lágrimas que é também um retrato irónico da sociedade portuguesa, seus tiques e manias.Um livro cheio de inteligência e humor que explora os tiques e as vicissitudes de personagens que todos reconhecemos do prédio, do local de trabalho ou até mesmo das nossas amizades.É raro a literatura portuguesa apresentar uma mistura tão fina de sensibilidade e ironia. Mais ainda quando garante uma grande dose de humor.
Boas leituras

domingo, 13 de maio de 2018

"Sereia e os tesouros do mar"

 O tesouro, uma cântaro, foi feito primeiro com pasta de modelar e o stencil para lhe dar a forma, retocado para não parecer novo e coloquei algumas fissuras. Depois coberto com um verniz bege que ali tinha, estava em final de vida, e coloquei ainda, duas flores antes de deixar secar o verniz. 
Boas criações

terça-feira, 8 de maio de 2018

The godess test, de Aimée Carter

Versão diferente do mito de Perséfone. O mito dita que Démeter, a deusa das colheitas e das estações do ano, para os gregos, por perda da sua filha Perséfone durante o Inverno para o deus Hades, deus do submundo, pára a agricultura em todo o inverno até a volta da filha para o pé de si, no inicio da Primavera. Aqui, esta versão é adulterada logo desde o início pois não existe uma deusa Perséfone e vemos os deuses a tentar encontrar a futura deusa consorte de Hades, neste mundo fictício chamado de Henry.
A premissa é que para a escolha da futura deusa as raparigas tem de passar um teste, na verdade até são vários, e vêem do mundo moderno para este efeito, e só após esse teste é que a escolha será permanente. Mas no mundo moderno a vida mudou radicalmente quando comparada com uma vida de sacrifício da época antes de Cristo, muito antes até, e supostamente quando colocadas à prova falham miseravelmente, morrendo aquando algum  testes. É uma época muito diferente e como tal exige diferente formas de vida/morte para se conseguir alguém a altura. 
Encontramos Kate e a sua mãe, doente de cancro em fase terminal, que volta a sua terra natal para se despedir da vida. Kate entra para a escola, conhece novas pessoas e novos colegas mas mantêm-se focada na mãe e no seu conforto e em aproveitar o dia-a-dia com ela. Por mero acaso conhece Henry através de uma partida da amiga, que lhe faz uma proposta, e tudo muda.
Sinopse:
Every girl who had taken the test has died.Now it's Kate's turn.It's always been just Kate and her mom - and her mother is dying. Her last wish? To move back to her childhood home. So Kate's going to start at a new school with no friends, no other family and the fear that her mother won't live past the fall.Then she meets Henry. Dark. Tortured. And mesmerizing. He claims to be Hades, god of the Underworld - and if she accepts his bargain, he'll keep her mother alive while Kate tries to pass seven tests.Kate is sure he's crazy - until she sees him bring a girl back from the dead. Now saving her mother seems crazily possible. If she succeeds, she'll become Henry's future bride and a goddess.If she fails...
Boas leituras

At Home Hobby

Olá
Encontrei esta lojinha quando procuravamos por outra coisa dentro da área das artes manuais e fiquei perdida, pensava que na zona já não havia lojas com material para trabalhos manuais. Já não se encontra muitas lojas deste género por aqui, quanto mais lojas físicas. Esta tem de tudo um pouco, com incidência em materiais para costura, tricô/crochê, scrap e uma grande seleção de material para festas. Deixo o site da loja At Home Hobby, é só carregar no nome.
As comprinhas que vieram comigo:
Até breve

terça-feira, 24 de abril de 2018

The girl who circumnavigated Fairyland in a ship of her own making

Leitura curta, livro de pequena dimensão mas com muita fantasia de grande dimensão.
September não é uma menina como as outras, o pai foi para a guerra e a mãe, devido ao pai ter ido para a guerra, teve de ir trabalhar numa fábrica. Além de ter o nome de Setembro, inicio do outono, e de ter nascido em Maio. September fica sozinha em casa, no Nebraska, quando lhe aparece pela janela o vento Green montado num leopardo voador, e parte com eles sem saber ao que vai.
Pelo caminho encontra-se com bruxas sem caldeirões, dragão literário com asas mas que não voa (acorrentado e sem licença de voo atribuída), meninos do mar aprisionados pela rainha, bicicletas corredoras em manadas, gnomos soporiferos estudantes de engenharia, a terra de Fairyland e a Marquesa, que faz com que todos lhe façam as vontades.
Adorei e recomendo a todos a leitura.
Sinopse:
Twelve-year-old September lives in Omaha, and used to have an ordinary life, until her father went to war and her mother went to work. One day, September is met at her kitchen window by a Green Wind (taking the form of a gentleman in a green jacket), who invites her on an adventure, implying that her help is needed in Fairyland. The new Marquess is unpredictable and fickle, and also not much older than September. Only September can retrieve a talisman the Marquess wants from the enchanted woods, and if she doesn’t . . . then the Marquess will make life impossible for the inhabitants of Fairyland. September is already making new friends, including a book-loving Wyvern and a mysterious boy named Saturday. With exquisite illustrations by acclaimed artist Ana Juan, Fairyland lives up to the sensation it created when the author first posted it online. For readers of all ages who love the charm of Alice in Wonderland and the soul of The Golden Compass, here is a reading experience unto itself: unforgettable, and so very beautiful.
Boas leituras

segunda-feira, 23 de abril de 2018

#4 Baktus linho

Olá, 
Mostro fotos do cachecol finalizado, utilizei no total os 3 novelos que tinha desta cor azul exceto aquele restinho que se vê na foto.
  

As fotos não mostram o peso do dito cujo mas deste tipo de cachecol já fiz alguns, cada um em seu tipo de fibra, algodão e lã, e este é de longe o mais pesado e sente-se quando o colocamos ao pescoço.
Admito alguma negatividade em relação ao fio que utilizei, e não por ser fio de linho, mas por ser constituído por outros tantos fios e quando trabalhava o cachecol tinha sempre tendência para repuxar um ou outro, parar e tentar colocar como estava, o facto de ter que desmanchar e depois refazer é uma chatice para mim, impede que trabalhe depressa e no fim alguns desses repuxões no fio não se conseguem endireitar. Nas fotos consegue-se ver igualmente que o fio não tem todo o mesmo tipo de grossura, alguns pedacinhos são mais grossos e como este cachecol é feito todo com o mesmo tipo de ponto pensei que dissimulasse.
 
 
Até breve

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Frases indiscutivelmente verdadeiras

"Calpurnia Farthing glimpsed the rushing Key on her return from the borders of Autumn and thought it curious. Penny squealed and begged to catch and keep it, but Calpurnia would not allow it, pets being a nuissance to traveling folk. Calpurnia squinted through her googles and thought to herself, That is a Key. Where there is a Key, there is hope."

in Valente, Catherynne M. (2012).  The girl who circumnavigated Fairyland in a ship of her own making. Macmillan, Harrisonburg, Virginia.  Pág. 178

domingo, 15 de abril de 2018

Vitral #D150418


Feijoada de tamboril

Receita feita tomando como exemplo uma outra receita de pota, do blog Receitas de dieta, mas como tinha tamboril fiz com este peixe.
Eis os ingredientes utilizados, algumas alterações entre os meus e os originais, e respetiva preparação.

Ingredientes:
500g de tamboril aos pedaços
1 cebola picada
2 tomate cortado em cubos
1 cenoura pequena cortada em cubos
1/2 pimento cortado em cubos
1/3 courgete cortada em cubos
2 dente de alho picado
1/2 copo de vinho branco
feijão branco da horta do pai :)
azeite, salsa e sal q.b.

Preparação:
Fazer o refogado, após alourar a cebola, com o alho e a salsa acresentar os vegetais e o tamboril aos pedaços. Deixar refogar e após algum tempo, cozer, juntar ofeijão, que foi previamente demolhado e cozido.
Bom apetite.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Frases indiscutivelmente verdadeiras

"- I didn't know one's courage needed washing!" - gasped September as Lye poured a pittcher of water over her head. Or that one needs to be naked for that sort of washing, she thought to herself.

Lye poured a bucketful of golden water over September's head. "When you are born", the golem said softly, "your courage is new and clean. You are brave enough for anything: crawling off of staircases, saying your first words without fearing that someone will think you are foolish, putting strange things in your mouth. But as you get older, your courage attracts gunk and crusty things and dirt and fear and knowing how bad things can get and what pain feels like. By the time you're half-grown, your courage barely moves at all, it's so grunged up with living. So every once in a while, you have to scrub it up and get the works going or else you'll never be brave again. Unfortunately, there are not so many facilities in your world that provide the kind of services we do. So most people go around with grimy machinery, when all it would take is a bit of spit and polish to make them paladins once more, bold knights and true."

in Valente, Catherynne M. (2012).  The girl who circumnavigated Fairyland in a ship of her own making. Macmillan, Harrisonburg, Virginia.  Pág. 60