domingo, 31 de julho de 2016

Citun’s Storm (Unearthly World #6)

Livro pequeno e assim assim.
Mundos exóticos e variados neste livro, apesar de não muito desenvolvidos, tem como pano de fundo a história de Citun, um guerreiro Zargonnii do Norte, e Storm, mulher humana desterrada noutro planeta, com poderes mentais, que se encontram num planeta distante. Soa esquisito a parte dos poderes mentais mas Storm consegue atacar e lutar com a sua mente, após contacto mental e físico com os seres Gorgano, enquanto que a maioria dos seres utiliza somente a força física, como os Zargonnii, os Tonan e mesmo os Castian. Tal como os Gorgano, as mulheres humanas pouco poder físico têm, compensando noutras áreas e apesar de ambos os sexos entrarem em contacto com estes seres somente as mulheres retêm a capacidade.
Citun, parte em busca de humanas, ou fêmeas de outras espécies, para os seus homens e é atacado num planeta desconhecido por um Gorgano, que em águas rasas quase o afoga no seus dois metros de altura sendo salvo por Storm. Como ele a quer levar para o seu planeta Storm passa a criar situações em que se desenrasque sozinha e evidenciando nele a falta de possibilidades de resposta, uma atitude infantil da parte dela mas eficaz não deixando na mesma de ser levada.
Sinopse:
Citun, powerful leader of the northern Zargonniis, vows there is a female human for him out there somewhere. He and his warriors are drawn to a far corner of the universe, where rogue Tonans swear a small colony of women has been cultivated. The race is on; it appears every male in the galaxy is after a human, but some want them dead. Citun hungers for a mate. The last thing Storm wants in her life is a massive giant of a warrior, but since she saved his life, she’s stuck with him. There are some forces that cannot be denied. Storm has the ability to become a storm, and she needs to decide if she will allow one warrior to tame her thunderous emotions.
Boas leituras

Frases indiscutivelmente verdadeiras

"No home isn't a place, sometimes it's not even a someone. Sometimes it's a something. Something you carry everywhere you go. Something that keeps you moving, feeling, living. Home is hope. As long as I can feel the beating of my heart, I have hope because I have life. Something within walls can be empty, maybe there's no furniture or people, but within me there is substance. My blood is fuel surging to my home; my veins are friends who carry it. My breath expands my lungs to give my home an open window. And when I hurt, my heart hurts with me, every single time. When I cry, my home doesn't wipe my tears because it cries, too. Most important, when I love, my heart expands because a home grows bigger when it fills with joy."

in C. L. Scholey. (2016) Citun's Storm. Torrid Books. Cap. 10, Pág. 3

Her Ladyship's Companion, de Evangeline Collins

Uma amiga contrata um prostituto para usufruto de outra, [que amiga :)] , pois acha que ela precisa de "descontrair" do marido, que lhe bate. Esta é a premissa para a história deste livro, relata igualmente o paraiso encontrado pelo casal de amantes, durante o breve primeiro encontro e a descoberta pelo marido e, mais tarde, pelos restantes irmãos. Estes últimos ficam espantados pelo comportamento do marido da irmã e da própria irmã.
O amor prevalece, soa esquisito :)
Lê-se bem e rapidamente.
Sinopse:
In the Scottish countryside of Selkirk, Lady Isabella Stirling resides at Bowhill Park, serving penance for a sin that nearly ruined her family. For five years she has been condemned to a loveless marriage and confined to the estate where she does little more than tend her rose garden. With her husband absent for months at a time and few visitors, Bella lives a lonely existence, denying the passions that burn within her very soul.Then her cousin comes for a visit and makes an outrageous suggestion: what Bella needs is a lover. A hired lover. Despite her need, Bella says no. But soon Mr. Gideon Rosedale arrives-and he is at her service for two weeks. Indulging in what she intends to be a harmless flirtation, Bella is overcome by Gideon's intoxicating presence. And when she at last permits him to satisfy her desires, she discovers she's done the unthinkable-she's fallen in love. 
Boas leituras

quinta-feira, 21 de julho de 2016

A bibliotecária, de Logan Belle

Não achei nada por aí além, romance parecido com o tipo Grey, nada de novo.
Sinopse:
A jovem Regina Finch adora livros e sente-se feliz porque conseguiu o seu emprego de sonho: trabalhar na New York Public Library. Mas o que parecia ser a promessa de uma rotina tranquila no meio de clássicos da literatura revela-se um irresistível jogo de sedução quando conhece o enigmático Sebastian Barnes. Um dia Regina descobre por entre os corredores do santuário bibliotecário uma tórrida cena sexual entre Sebastian e uma funcionária. Uma mistura de repulsão e desejo consome Regina e uma paixão despertará na jovem sensações jamais imaginadas. Uma tarde repara num livro sobre a vida de Bettie Page. Com estes trunfos, Regina espera descobrir a sua destreza sexual e seduzir o homem que ama.
Boas leituras

quarta-feira, 6 de julho de 2016

As Horas Distantes, de Kate Morton

 A história entra de mansinho e quando damos por ela não conseguimos desligar. Livro longo mas de escrita fácil, com dois tempos prioritários, durante a segunda grande guerra e Londres actual, saltos constantes entre estes dois, passado e presente. 
 Em primeiro lugar o castelo, pano de fundo para duas gerações de uma família com as suas peculiaridades, os seus sonhos e anseios e os seus múltiplos segredos. Durante a grande guerra deixam uma menina entrar, a evacuada Meredith, não só no castelo mas igualmente no seu interior, conhecê-los. Lembra a obra 'Os Maias' com as suas descrições pormenorizadas, que quase nos vemos lá, pois parte dos textos são deste modo a outra parte introspecção por parte das personagens. Aos poucos os segredos de cada membro da família são revelados a Edith, descendente de Meredith, que trabalha numa editora e pensa-se desligada e afastada de sua mãe, razão pela qual encontrou o Castelo de Milderhurst e pela carta que chegou, dando uma faúlha de outras possibilidades para a vida da mãe. Permite no final que a relação com a sua mãe desenvolva e dê frutos e por reflexo que os mistérios há muito esquecidos do castelo sejam resolvidos. Em segundo Londres, Londres do tempo de guerra e Londres no tempo actual, por mera coincidência no mesmo locais, onde a vida corre ao seu tempo e Edith e Meredith estão afastadas emocionalmente uma da outra apesar de bastante próximas geograficamente falando.
Sinopse:
Tudo começa quando uma carta, perdida há mais de meio século, chega finalmente ao seu destino...
Evacuada de Londres, no início da II Guerra Mundial, a jovem Meredith Burchill é acolhida pela família Blythe no majestoso Castelo de Milderhurst. Aí, descobre o prazer dos livros e da fantasia, mas também os seus perigos.
Cinquenta anos depois, Edie procura decifrar os enigmas que envolvem a juventude da sua mãe e a sua relação com as excêntricas irmãs Blythe, que permaneceram no castelo desde então. Há muito isoladas do mundo, elas sofrem as consequências de terríveis acontecimentos que modificaram os seus destinos para sempre.
No interior do decadente castelo, Edie começa a deslindar o passado de Meredith. Mas há outros segredos escondidos nas paredes do edifício. A verdade do que realmente aconteceu nas horas distantes do Castelo de Milderhurst irá por fim ser revelada...
Boas leituras

terça-feira, 5 de julho de 2016

The Bridegroom Wore Plaid, de Grace Burrowes

Um castelo que necessita de fundos bem como o seu proprietário e para tal recebe pessoas "importantes" na sua propriedade na Escócia, durante o período das férias. De Ian é esperado que encontre a sua noiva na filha mais velha das suas visitas do momento, Barão Atlsax, mas quem puxa a atenção dele é a acompanhante dela, Augusta.
Leitura simples e descomplexada.
Sinopse:
His Family or His Heart ― One of Them Will Be Betrayed...
Ian MacGregor is wooing a woman who's wrong for him in every way. As the new Earl of Balfour, though, he must marry an English heiress to repair the family fortunes.
But in his intended's penniless chaperone, Augusta, Ian is finding everything he's ever wanted in a wife.



Boas leituras

domingo, 3 de julho de 2016

Fangs for the Memories, de Katty Love

Lê-se rápido.
Retrata a história de um vampiro, Rhys, que luta com o seu irmão, afastado da família por problemas de amores, e no fim descobre que é salvo por quem salvou antes, Jane. No dia seguinte não se lembra de nada e pensa que é um conde inglês, e no tempo em que ainda era humano. Ponto de partida para algumas hilariantes peripécias entre os dois irmãos, são três no total, nos tempos modernos e em que encontra a sua cara metade.
Sinopse:
 Oh, Brother!

I'm watching my brother swagger through our New York City apartment...smiling. Rhys, the detached, surly man who turned brooding into an art form. But he's not brooding now. No, he's practically threatening to pistol whip me for shaking hands with the beautiful, half-dressed creature named Jane who just tried to sneak out of his bedroom. Weird. Brother Grim has a sex drive?
That's not all that has me freaked out. Something terrible happened last night, something that made Rhys break his own rule and save the life of a mortal. Trouble is he doesn't remember anything from the past two hundred years. Like that he's a vampire, not a Regency viscount with an English accent.
All I know is this mortal woman has managed to touch my brother's frozen heart, and I, Sebastian Young, will do whatever it takes to help him keep her...
 Boas leituras