quinta-feira, 13 de julho de 2017

A dama de espadas, de Puskine

Este pequena história fala da avareza, forretice. Aqui uma das personagens, Hermann, escuta num jogo entre amigos e conhecidos falarem do segredo da condessa Fédotovna,, que numa altura em que perdeu muito dinheiro ao jogo utilizou este truque e conseguiu ganhar, interessado em tal facto anseia por saber mais. 
Hermann tudo faz para conseguir saber o segredo no encontro mas falha pois o familiar da condessa diz não o conhecer, infeliz com o resultado procurará outros meios para o conseguir. Andará atrás da protegida da condessa, Lisavete, igualmente a sua dama de companhia, além de tratar dela, para poder entrar na casa da condessa e confrontá-la, fazendo-a entregar o seu segredo no jogo. Lisabete, pensa-o enamorado de si e vaidosa começa a inclinar-se para ele, ajudando-o sem saber para qual fim.
Mas no fim, a avareza não compensa, consegue o seu objetivo e armado com o segredo vai para a mesa de jogo tentar a sua sorte e a condessa dá-lhe uma senhora ajuda.
Sinopse:
A velha condessa Ana Fédotovna, na sua juventude apelidade de Vénus Moscovita, esconde um segredo… um segredo que pode tornar qualquer homem milionário ou destruir-lhe a vida. Numa noite longa, durante um jogo de cartas, Tomski, o neto da condessa, confidencia aos amigos parte do segredo da avó. Mas, entre eles está o ambicioso Hermann, rapaz sem escrúpulos que vai tentar descobrir o segredo para se tornar no homem mais rico do mundo. Pelo meio, não hesitará em levar quase à loucura Lisavete Ivanovna, a singela dama de companhia da condessa.
Boas leituras

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Frases indiscutivelmente verdadeiras

''- O jogo interessa-me muito - disse Herman-, mas não posso arriscar o necessário para obter o supérfluo."


in Puskine(2007).  A dama de espadas. Publicações Europa-América, Mem Martins.  Pág. 8-9

sábado, 1 de julho de 2017

Rest & have fun at the park

 
Passa por vários momentos de indecisão, se gosto ou não, abaixo o momento final, em que decido que está feito.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Frases indiscutivelmente verdadeiras

"Few people, after all, had seen more of the wordl than she had. There was scarcely a country she had not visited, a notability she had not met. Herself part of the panoply of the world, why now was she intrigued by books which, whatever else they might be, were just a reflection of the world or a version of it? Books? She had seen the real thing.

''I read, I think, '' she said to Norman, ''because one has a duty to find out what people are like,'' a trite enough remark of which Norman took not much notice, feeling himself under no such obligation and reading purely for pleasure, not enlightment, though part of the pleasure was the enlightment, he could see that. But duty did not come into it."


in Bennett, Alan(2017) 2004 1st ed.  The Uncommon Reader. Reclams Universal-Bibliothek, Stuttgart.  Pág. 39

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Desaparecida, de Elizabeth Adler

Acabei de ler e admito que neste livro além de ter demorado muito a terminar não achei a sua leitura empolgante,  ou ainda, ter conseguido criar alguma empatia com as personagens.
 Angie é a ruiva desta história, e excepto um capitulo no principio do livro que nós leitores temos um pouco dela, com os seus pensamentos, o que fazia da sua vida e tipo de personalidade, pouco a iremos ler ao longo do livro, alguns vislumbres do que pensa, em que é ajudada pela sua "falecida mãe" a manter a coragem, e depois.... nada. Li algumas linhas relatando uma vingança mas onde está essa vingança, Angie venceu simplesmente esperando e aguentando as situações, e de uma forma passiva.
Grande foco dado ao vilão da história, Ahmed, nome estrangeiro, deliberado ou não, parto logo do principio que não se enquadra não bate com os outros, retratado como tendo uma infância dificil, violenta e solitária torna-o num adulto reprimido, calculista e fantasioso, tudo faz para subir na vida e quando aí chega, pára no tempo e mantêm-se eternamente uma  criança com o pensamento imaturo (tens que fazer o que eu quero), dedicando-se a jogos deliberados, meio macabros e letais (principalmente se for do sexo feminino). Temos igualmente uma vilã menor, Mehitabel, a personificação de Medusa que deseja agradar a Ahmed, dando o que ele procura para ser feliz, e mais tarde roubar-lhe tudo o que tem mesmo que o tenha de matar.
As outras personagens no jogo são Marco, Martha e sua irmã Lucy, uma familia em forma de triângulo. Marco, pintor de retratos, na altura em férias na Turquia, vê Angie a cair do iate negro, Lady Mariana, e procura incessante por ela, por pistas do que aconteceu, Martha, namorada de Marco, decoradora de interiores e de festas, assumiu as responsabilidades familiares aquando da morte dos pais, e de Lucy, irmã mais nova, menor de idade, que ainda não sabe bem o que quer fazer da sua vida mas vai vivendo-a. O que têm em comum com o vilão? Pouco ou mal conseguido, infelizmente. 
Não gostei, não recomendo. 
Sinopse:
Tudo começou numa festa. Terminou com um crime, uma mulher desaparecida... e uma promessa de vingança!
Ao entardecer, na belíssima paisagem do Mar Egeu, uma mulher de cabelos ruivos cai da amurada de um iate de luxo. Em terra, o pintor Marco Polo Mahoney vê a queda, percebe que a jovem está ferida e assiste, perplexo, à embarcação a afastar-se deliberadamente. Marco tenta imediatamente salvá-la mas não a consegue encontrar. É como se a bela ruiva nunca tivesse existido. Mas ele tem a certeza do que viu. E está disposto a tudo para resolver o mistério.
Angie Morse acabou de ser atingida na cabeça com uma garrafa de champanhe. Caiu no mar, ferida, e os seus companheiros parecem estar a abandoná-la. O iate onde ela seguia está a afastar-se, levando consigo os supostos amigos e o namorado. E, embora cada um deles tivesse algo contra si, Angie estava longe de imaginar que quisessem vê-la morta. Agora, enquanto as ondas a tentam submergir, invade-a um sentimento apenas: raiva.
É a raiva que lhe vai dar forças para sobreviver... e também para se vingar...
  
Boas leituras

sábado, 17 de junho de 2017

Circulos e Aguarela com sal

As férias serviram para descansar, ler, fazer umas limpezas muito esperadas, e terminá-las, e pintar um bocadinho com as novas aguarelas de Kuretake. Aproveitei um talão de desconto de 7€ e armada com ele fui a Ponto De Artes, uma pessoa perde-se um pouco lá, estava em dúvida com outras peças mas vieram comigo dois produtos desta marca Kuretake: um conjunto de 12 aguarelas Gansai Tambi  e um outro de 6 cores Pearl. As cores são muito bonitas e tem imenso pigmento não precisando de mexer muito as tintas para o soltar. 
 

Experimentei com o novo vídeo da autora Martha, canal MaremiSmallArt, utilizando um ingrediente das nossas cozinhas. tenho dois formatos de sal, o grosso e o mais fininho para as saladas, ambos foram aqui usados. Fotos após secagem ...
Tentei outra vez os círculos, para testar as cores e o seu pigmento destas aguarelas, foi algo que gostei bastante da outra vez que fiz . Deixo fotos após secagem...
Não está terminado ainda, não apaguei os riscos a lápis, as minhas guia para fazer os círculos, e irei trocá-las por canetas Posca.

domingo, 11 de junho de 2017

Wish list, de John Locke

O ponto de partida para a história é a existência de um site que transforma 5 desejos "impossíveis" em realidade. A personagem principal, Buddy Pancake, em conversa com os amigos descobre sobre o site e começam logo a fantasiar sobre os seus desejos até se tornar um pouco bizarro. Após tal conversa Buddy verifica, se o site existe mesmo, e faz os seus desejos considerando que somente um deles seria impossível e mal não poderá fazer, é só um site. 
A partir daqui torna-se um pouco macabro com a realização dos desejos que as pessoas pediram, incluindo o nosso amigo Buddy, mas mais tarde com o tipo de pagamento exigido  que inclui desde pequenas coisas como ver um amigo a lutar, ou matar alguém.
Um pouco fantasioso e no reino do E se... mas mostra como algo tão simples com um site pode ter algo tão obscuro por trás e as consequências que daí nascem.
Sinopse:
Be careful what you wish for!When Buddy Pancake and his drinking buddies stumble across the Wish List website, they jokingly post their “impossible” wishes. Imagine their surprise when, one by one, the wishes start coming true! But Buddy and his pals neglected to read the fine print explaining the price they must pay for the wishes they’ve been granted.Wish list is a compelling, nail-biting, laugh-out-loud thriller in the tradition of Saving Rachel.
Boas leituras

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Our journey is made of pieces

 Não contente com o 1º resultado tentei colocar ênfase nas palavras pois notava-se pouco no meio de tantos e tão diferentes pedaços de papeis coloridos.
Após utilização da caneta Posca com a cor prata nas letras PIECES, veio a violeta em todo o texto, que mesmo assim não me convenceu, continuava a notar-se pouco e temos de  procurar as palavras no meio da "multidão". Virei-me para o branco.

domingo, 4 de junho de 2017

Our journey...

Olá,
espero que tenham tido (e ainda tenham) um bom fim de semana. Este domingo foi muito produtivo, vários trabalhos com técnicas variadas (e inspiração qb), a terceira página está ainda em progresso. Espero mostrar finalizada em breve.
Até breve

Discover the world


Poppy Love

sábado, 27 de maio de 2017

Workshop de Oléo - Ponto das Artes - Cacém

 
 
Admito que havia mas trabalhos que poderia mostrar pois utilizamos vários tipos de médios de 3 marcas, com diferentes espessuras e para diferentes efeitos, mas gostei mais deste. E verdade seja dita as outras experiências foram isso mesmo experiências.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

A educação de Felicity (The School for Manners, #1)

Livro pequeno, agradável e risonho.
Comédia romântica de época que me cativa, achei uma boa aposta pois já li um livro, o quinto volume desta coleção, mas infelizmente a aposta da Asa foi curta e somente estão impressos em português este e o segundo bahhhh.
Este é o primeiro volume que nos conta, muito resumidamente que as Irmãs Tribble estão necessitadas, a beira da pobreza, e passam a colocar um anúncio no jornal oferecendo os seus serviços aos pais mais desesperados com o procedimento de suas filhas, nasce a Academia de Etiqueta. A primeiríssima aluna chama-se Felicity e é maria-rapaz, sonhos do pai de ter tido um filho, transmitiu tal vontade para a filha, para desespero da mãe.
O alvo deste romance não é o futuro casal em si, Felicity e Ravenwood e um amor pouco convincente, bem como as atribulações por que passam mas sim as irmãs Amy e Effy que serão as professoras de etiqueta da aluna. Meio díspares, contrarias, casmurras e procurando pelo seu eterno casamento/amor "resolvem", e aqui coloco tal palavra de forma muito liberal, as várias contrariedades da menina e problemas que surjam com o maior à-vontade, humor e exagero transformando qualquer situação banal e desesperada em algo bizarro e extravagante, e risota total.
Sinopse:
 Numa época em que as mulheres da nobreza só dispõem de duas opções - casar ou esperar que um parente rico morra - as irmãs Tribble não têm sorte nenhuma. Não só ainda não encontraram o amor como, após anos de bajulação a uma intratável tia velha, veem o seu nome apagado do testamento aquando da sua morte.As românticas Amy e Effie Tribble sonhavam com ricos jantares de carne assada e batalhões de criados aduladores mas agora estão oficialmente na penúria. Ironicamente, é neste cenário desolador que lhes ocorre uma ideia brilhante: colocar a sua educação esmerada ao serviço das jovens mais "difíceis", apresentá-las à sociedade e arranjar-lhes casamento.Não contavam que a sua primeira cliente fosse Lady Felicity Vane, cuja rebeldia ameaça enlouquecer a sua própria mãe e arruinar o projeto sentimental de Amy e Effie. A jovem prefere caçar com os amigos a pensar em casar. Mal ela sabe que o seu suposto pretendente é o homem que mais a irrita (e que mais irritado se sente por ela). Felicity nunca admitirá que o seu coração treme ao ver Charles Ravenswood, principalmente porque o elegante marquês parece não ter paciência nenhuma para as suas extravagâncias. O clima entre ambos é tão tenso que, se soubessem o que as irmãs planeiam, o resultado seria, no mínimo, desastroso…
Boas leituras

domingo, 21 de maio de 2017

Bom dia

uma flor para vos alegrar o dia

 

Xaile Half Granny: Novo projeto

Pois é enquanto o outro projeto aguarda melhores dias iniciei um outro que estava pensado fazer algum dia, até o tinha colocado na fila no Ravelry como algo que gostaria de fazer. Já fiz vários trabalhos com este ponto granny square mas o xaile com parte deste ponto ainda não.
Iniciado hoje mostro fotos de como está.

Estou a utilizar uma a agulha n.º 2 e escolhi esta cor laranja para o modelito.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Baktus: Upgrade

Olá
O Baktus vai progredindo e estou quase a acabar o presente novelo necessitando brevemente do 2º que tenho da mesma cor pois pelo tamanho que tem é ainda insuficiente para dar a volta ao pescoço. Procurei mas o dito cujo não há meio de aparecer, guardei-o tão bem mas tão bem que não sei onde estará. Pensa, pensa... 

Entretanto deixo foto do que está feito e retomarei quando o encontrar. Até breve

domingo, 14 de maio de 2017

Quem tem medo de Virginia Wolf?

Fui ver a peça acima com dois atores bastante conhecidos
Adorei e recomendo, aviso que não é uma peça leve.
Resultado de imagem para quem tem medo de virgínia woolf peça

sábado, 13 de maio de 2017

Circulos: LOVE goes round and round

Decidi experimentar o bloco de papel, da Tiger que comprei faz alguns dias, para fazer uma tentativa em aguarela de forma a ver como trabalhava este papel. Gostei, mas o papel não é apropriado para aguarela, erro meu,  empola  com a água e não expande a tinta como deveria, mas nada que um livro pesado não retifique :) .
 
Utilizei as tintas de aguarela para o fundo mas depois os círculos e restantes efeitos foram feitos com as canetas Posca, diferentes grossuras.

Baktus: Novo projeto

No meio de tanta coisa boa neste dia 13 iniciei um outro trabalho em crochet, esquema encontrado num blogue Das mãos da Gracinha, nas minhas viagens de cuscar pela net. Achei engraçado a forma peculiar que toma aquando da sua completude.  
 Escolhi uma linha matizada nº 5, com uns tons bonitos em verde, e estou a utilizar a agulha n.º 2. Deixo fotos do seu inicio...
.
Até breve 

quinta-feira, 11 de maio de 2017

A magia das pequenas coisas (Waverley Family #2)

 Gostei muito do primeiro livro e como tal quando este segundo saiu não consegui resistir. Livro curto, leve e divertido.
 Bay, agora adolescente, questiona-se  sobre o que é ser uma Waverley, bem como a sua mãe e irmã, a niveis diferentes mas todas com o mesmo problema, a dúvida. Esta é trazida pelo vento e pelo forasteiro que tenta subornar Claire com dicas de sua mãe e que ela é filha adoptada e não gerada na familia. Claire anda descontente com a sua vida apesar de ela andar de feição, marido e filha estão bem de saúde, felizes, o negócio vai bem, e Claire continua na cozinha fazendo as suas iguarias. Afinal o que está na mal na cozinha? Claire cozinha doces para venda mas já não cozinha para a sua familia e amigos, duvidando de si própria e dos seus talentos como Waverley, e pior se é uma Waverley.
Dúvidas mais antigas renascem pois pouco sabem sobre a própria mãe e a avó pouco contava.
Sinopse:
Por detrás das sebes de um jardim encantado, está aninhada a casa da família Waverley. As mulheres que a habitam são herdeiras de um legado mágico: a macieira, que produz frutos proféticos, e as flores comestíveis, com os seus poderes únicos. Mas algo se passa ultimamente. Uma estranha inquietude parece invadir tudo e todos.
A discreta Claire tem um novo negócio. Inspirada pelo jardim, ela produz doces artesanais em que usa a lavanda para atrair a felicidade, as rosas para reconquistar os amores perdidos, a lúcia-lima para acalmar a garganta e o espírito... E o sucesso destas guloseimas é tanto que ameaça afastar Claire das pessoas e da vida que tanto ama. A rebelde Sydney anseia apenas por um novo começo... e um novo bebé. Mas as tentativas têm sido vãs. A sua alegria de viver perde um pouco de brilho a cada dia que passa. A “pequena” Bay, agora uma adolescente, acabou de declarar o seu amor pelo rapaz errado. Apenas Evanelle continua a dar às pessoas exatamente aquilo de que precisam...
E quando um misterioso forasteiro chega à cidade e desafia a essência da própria família, cada uma destas mulheres terá de fazer escolhas difíceis e inesperadas.
  
Boas leituras

terça-feira, 9 de maio de 2017

Casado até segunda (The Weekday Brides, #2), de Catherine Bybee

Livro pequeno, de rapida leitura e agradável.
Relata a história de um politico, Carter, futuro senador talvez, pois está em campanha, que anda atrás de uma rapariga/mulher mas ela não lhe liga nenhuma. Eliza tem um passado a esconder, e faz-o muito bem pois a sua vida depende disso mas consegue agora ter um emprego e amigas e amigos. Tudo parecia correr bem até aparecer na televisão.
Tudo corria bem para Eliza excepto aquando da briga no bar com ele e a amiga, foi parar à televisão e depois para remediar, de alguma forma, a má publicidade a Carter outra vez na televisão que fez com que a policia aparece-se no local para avisá-la do perigo que corria em mostrar-se e piorar as coisas.
Sinopse:
Carter Billings: Com o seu cabelo louro e a aparência de estrela de Hollywood, Carter pode ter todas as mulheres que quiser. Mas quando se candidata a governador da Califórnia, sabe que terá de assentar e tornar-se um homem de família. A sua escolha recai sobre Eliza Havens, que gere uma agência matrimonial. Eliza Havens: Eliza sente-se feliz por a melhor amiga ter um marido rico e adorável. O que a deixa doida é o melhor amigo dele: o sensual e ousado Carter Billings. Nunca nenhum homem a arreliou tanto…nem lhe fez bater o coração assim tão depressa. É a juntar casais que ela ganha a vida, mas há segredos antigos que a têm impedido de ela própria se casar… até agora.  
Boas leituras

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Tiger: material

Passei pela loja Tiger, loja grande que existe no Chiado, e ao passar pelo material de artes tive que parar e inspecionar o conteúdo com atenção, principalmente as coisas para aguarela.



  

Tinham uns conjuntos de papeis grossos, com 300grs de espessura, apropriados para pintar, formato postcard e um outro conjunto pré-desenhado com motivos florais, igualmente de papel grosso, e ainda um bloco de 14x14 cms com o mesmo tipo de papel. Adorei e adorei o preço.

sábado, 6 de maio de 2017

Lost and Found in Cedar Cove (Rose Harbor #1.5)

Livro muito pequenino sobre o cão de Jo Marie Rose, Rover, e as suas pecularidades, ajudar os outros a encontrarem-se. Aqui vemos-o em ação juntando duas pessoas que nem sabiam que o queriam, Alice está a ajudar Travis com a matemática e muito mais.
Sinopse:
Debbie Macomber’s heartwarming new series, set at the Rose Harbor Inn in picturesque Cedar Cove, displays the author’s signature talent for creating characters who feel like friends, and small towns that feel like home. In this original short story available exclusively as an eBook, Jo Marie Rose readies her inn for spring, turning to her new friends Grace and Olivia when she needs them most.Jo Marie has big plans for her bed-and-breakfast. With the help of handyman Mark Taylor, she intends to plant a beautiful rose garden in time for her upcoming open house. Jo Marie and Mark rarely see eye to eye—especially on matters of home improvement—but she knows he has her best interests at heart. After the two walk the grounds, Jo Marie realizes that her beloved rescue dog, Rover, is missing, and at a time when she most needs a friend, Mark abruptly leaves. Confused by Mark’s behavior and worried for Rover’s safety, Jo Marie searches for her precious pup all over Cedar Cove. Rover is on an adventure of his own—one that will lead to a delightful surprise for two unlikely people.
Boas leituras

terça-feira, 2 de maio de 2017

O apicultor, de Maxence Fermine

Livro muito pequeno, que se lê rápido, mas com muito conteúdo para o pensamento. 
Apresenta-se num formto diferente e com um imaginário igualmente pouco usual. Até a altura das letras e o enquadramento na folha se comporta de outra forma.
Relata a procura incessante de Aurélien pelo seu ouro, abelhas e mel, e por reflexo procura por si próprio. Demonstra na realidade a importãncias dos sonhos nas nossa vida e como tais sonhos a controlam.
Deixa para trás o conhecido, a casa e o seu pai, as colheitas e a plantadora de lavanda. Aurélien percorreu Africa procurando pela rainha das abelhas e as próprias abelhas, encontra-as mas elas depois desaparecem como num sonho e um caminho que percorreu em meses demorou um ano na volta, quase ficando pelo caminho. conhece várias pessoas no seu percurso que enriquecem a história e dão-nos algo mais para pensar, é a viagem que faz 
Ao chegar volta depois para casa onde o espera o pai, mais velho, e ela, a rainha dele.
Sinopse:
No fim do século XIX, na Provença. Aurélien não esqueceu a abelha que veio pousar-lhe na palma da mão quando era ainda criança. A abelha deixara umas partículas de pó dourado na sua linha da vida. Devotado, desde então, a procurar a quinta-essência do mel, parte para uma longa e arriscada viagem que o conduz a África, aos maravilhosos planaltos da Abissínia.Nesse lugar, espera-o uma mulher dourada, e também um sonho... a cidade das abelhas. Uma história filosófica, uma busca apaixonada da beleza. 
Boas leituras

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Elementos secretos

Este livro não era o que eu estava à espera pois trata-se de uma crónica de conteúdo histórico, em que foi baseado para fazerem o filme, e não um texto romanceado. O livro relata os vários acontecimentos pessoais e profissionais das mulheres que trabalhavam na sala de computadores da NACA (futura NASA), no ramo da aeronáutica, durante o período da II guerra e mesmo depois da dita guerra. É feito de forma individualizada para cada mulher, as figuras mais importantes no desenvolvimento da sala de programação, através da narradora do livro e autora que as conheceu pois o seu pai era um membro desta "família de calculadoras" agora reformado.
Relata o percurso pessoal, bem como académico, de cada uma com as dificuldades que as mesmas tiveram para obter a certificação académica na área escolhida, que obtiveram no ensino, com as dificuldades financeiras do ensino para membros da raça negra, e mais tarde com a entrada na NACA o seu conteúdo profissional na sala de programação. Tem ainda uma seção com os relatos profissionais, e respetivas opções apresentadas, para seguimento da carreira após a guerra altura em que a NACA perdeu a maioria das sua "calculadoras" devido ao regresso dos homens da guerra mas algumas decidiram manter-se no campo, dando mais estabilidade económica à família.
Sinopse:
Entre estas "calculadoras" havia um pequeno grupo excecional de mulheres afro-americanas, especialmente talentosas. Faziam parte das mentes mais brilhantes da sua geração. Mulheres que tinham sido relegadas para ensinar matemática em escolas públicas só para negros do Sul, mas que foram chamadas para servir durante a Segunda Guerra Mundial, devido à escassez de mão de obra, quando a indústria da aviação necessitava de qualquer pessoa que pudesse ajudar. De repente, essas mulheres desvalorizadas até então, encontraram empregos adequados à sua genialidade, e responderam afirmativamente à chamada do Tio Sam e foram para Hampton, na Virgínia, para o fascinante laboratório aeronáutico de Langley.Mesmo ali, foram segregadas do resto das mulheres porque a Lei na Virgínia assim o estabelecia. Deste modo, esta equipa ajudou de forma excelente a que os Estados Unidos ganhassem a corrida espacial à URSS durante a Guerra Fria.Esta é a história incrível de um grupo de matemáticas afro-americanas que, com os seus cálculos, ajudaram a NASA e os EUA em alguns dos acontecimentos mais importantes da corrida espacial.Este livro começa na Segunda Guerra Mundial e desenvolve-se durante a Guerra Fria, o movimento dos direitos civis e da corrida espacial. Elementos Secretos segue a vida de Dorothy Vaughan, Mary Jackson, Katherine Johnson e Christine Darden, quatro mulheres afro-americanas que participaram em vários dos maiores sucessos da NASA.É uma crónica de quase três décadas durante as quais essas mulheres enfrentaram desafios, forjaram alianças e usaram o seu intelecto para mudar as suas próprias vidas e o futuro do seu país. 
Boas leituras

domingo, 30 de abril de 2017

Amanhecer ao Luar (Edilean #6)

Livro de média grossura mas que se lê rápido, divertido e agradável. Edilean é um local idílico, vila pequena e rústica recheada de vidas interessantes (à partida aborrecidas) que fazem parte da série com o mesmo nome e este é o 6º volume.
Esta é a história de Jecca Layton, no principio do livro "vemos "a sua juventude: estudante de arte,  numa pausa passada em Edilean, apaixonada pelo amor apesar de dizer que é pelo Reed, um primo de Kim, (o seu amor pelo primo não deu frutos) sua amiga de faculdade de Belas Artes e que vive na vila. Anos mais tarde começa a nossa história propriamente dita com a vinda de Jecca para Edilean, numa visita a Kim que se transforma numas férias prolongadas.

Jecca não está conformada com a sua vida, nem com o seu trabalho não tendo conseguido o seu objetivo, viver com a venda dos seus trabalhos de arte, e não trabalhando na galeria. A vida amorosa também é inexistente, algo que não deseja pensar muito mas que volta a pensar nela de tempos a tempos e por sequência em Reed.
Ficam pontas soltas como o desaparecimento de Sophie, ou mesmo o que acontecerá a Reed, visto que a ex-namorada seguiu com a sua vida, e que provavelmente estas questões serão respondidas nos volumes seguintes da série.
Sinopse
Com esta nova trilogia situada na bela povoação de Edilean, na Virgínia, Jude Deveraux conta-nos a história de três jovens mulheres, melhores amigas da faculdade, das suas vidas, dos seus amores e dos sonhos que pretendem realizar. Por sugestão da sua grande amiga Kim, Jecca Layton deixa de lado o mundo da arte de Nova Iorque para passar o verão entregue à sua paixão, a pintura, enquanto desfruta da unida comunidade artística de Edilean. O primo de Kim, Tristan Aldredge — o atraente e dedicado médico da povoação — sente há anos uma profunda atração pela «irmã» universitária da prima, embora até então só a tenha visto uma vez na vida; agora, Jecca sente-se cativada pelos encantos deste homem forte e sensível num verão de prazer sensual. Porém, quando as nuvens negras anunciam o regresso de Jecca à «vida real» e à grande cidade, os amantes devem tomar uma decisão: poderão sobreviver à separação? E qual dos dois sacrificará parte dos seus sonhos para poderem continuar juntos?
Boas leituras

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Uma Nova Promessa (Inn BoonsBoro Trilogy #3)

Leitura rápida e agradável.
Falta somente um casal chegar a um consenso na sua relação de amor-ódio, pelo menos aparentemente. Ryder e Hope são o casal deste livro mas apesar de sabermos que são um casal a coisa amorosa ainda não iniciou, ela cordial (ele é em certo sentido o seu patrão) e ele sarcástico para com a menina da cidade grande que não sabe o que quer numa cidade pequena.
Lizzy dá um empurrão na relação ao causar mais um beijo, queimados completamente ficam sem ação, pelo menos no momento. Juntam as amigas para conversar e... Depois Hope parte a caça. Apresenta de uma forma honesta o que procura ou deseja de Ryder, primeiro sexo, ele retribui da mesma forma e assim começa. Ryder sofre uma pequena transformação passando de pouco falador e bruto para atento aos desejos de Hope e amoroso de uma forma subtil.
Mais para a frente recebemos noticias da própria fantasma, Lizzy, sobre o seu Billy (Billy Ryder) mas a família Montgomery não percebe as implicações explicitas no seu comunicado. Ao contactar um parente do lado Montgomery,  a mãe de Ryder, lembra a quinta que possuíam onde antes decorreu a batalha, e o mistério de ambas as famílias desvenda-se. Gostei.
Todos os 3 livros apresentam personagens demasiado perfeitas, não é que desgoste mas sabe a pouco conteúdo (elas são bonitas, inteligentes e com negócios de sucesso, e eles vão pelo mesmo caminho furando um pouco o que é a realidade), e não é que desgoste do final feliz, ou mesmo os eventos paranormais  mas lá está parece que falta algo.
Sinopse:
Na família Montgomery, Ryder é o irmão mais difícil de decifrar e é conhecido pelo seu feitio antissocial, mas quando deita mãos ao trabalho, nenhuma mulher resiste ao seu apelo sensual. Exceto Hope Beaumont, a gerente que trabalha para ele no Hotel Boonsboro.Como ex-gerente de um hotel em Washington, Hope está habituada a excitação e glamour, mas isso não a impede de desfrutar dos prazeres de viver numa pequena cidade. Alcançou tudo o que queria — exceto na vida amorosa. A sua única interação com o sexo oposto são as constantes lutas com o exasperante dono, Ryder Montgomery. Mas ninguém consegue negar a química entre eles… que se incendeia ainda mais com um beijo na noite do Ano Novo.Quando tudo parece estar a correr bem no hotel graças à experiência de Hope, e surge no horizonte a promessa de felicidade, o seu passado na cidade regressa e faz-lhe uma visita indesejada. Ao ver Hope tão vulnerável, Ryder terá de decidir entre deixar-se afetar pelo passado ou ceder à paixão…
Boas leituras

sábado, 22 de abril de 2017

Um Violino na Noite

Livro pequeno e de leitura rápida.
Isabel tem dificuldades sejam financeiras sejam emocionais trazidas com a morte do marido e igualmente com a sua incapacidade de lidar com o que a rodeia. Tem aptidões musicais mas como qualquer dotado falha na praticidade do dia-a-dia, nas coisas mais básicas que deixava nas mãos do marido e agora sem ele paraliza-se de tal maneira, e é aqui que a encontramos no livro. Os problemas agravam-se devido a não entrar no rol de tarefas a fazer quando se tem dois filhos, Kitty, a sua filha mais velha, tenta assumir de alguma forma mas só tem quinze anos.
De forma a resolver as dívidas eminentes vende a casa, mais tarde o violino e ainda as jóias, e muda-se para a herança, uma casa com lago, terrenos, e terreno de cultivo, para tentar pelos filhos adaptar-se à vida numa aldeia. Tem que aprender a governar-se com pouco dinheiro visto que as obras na casa herdada são astronômicas, neste caso as experiências são a melhor forma para o fazer mas a mais violenta para o individuo. Aprende sobre as pessoas nem todas querem o nosso bem querem é o bem mas existem sempre almas caridosas que a tentam ajudar no meio de toda esta embrulhada. Isabel cresce à medida que se desprende da música e se foca nos filhos, Kitty começa a gozar da idade que tem, sem responsabilidades, com amigos e a gostar do local onde estão, Thierry, que não fala desde a morte do pai, começa com a tutelagem de Byron, e o cachorrinho, a desabrochar até se descobrir o segredo que o mantinha mudo.
A herança, a Casa Espanhola, ronda todas as personagens de algum forma, uns porque a cobiçam dos outros, outros pelo lucro, outros ainda pelo estatuto que trará. O construtor Matt é uma dessas personagens que tenta a todo o custo defraudar Isabel, seja por ações nas obras da casa, seja por insinuações sobre outras pessoas, ou ainda por atirar-se a Isabel.
Gostei, admito que no inicio a personagem Isabel causava-me calafrios devido a falta completa de bom senso e senso comum.
Sinopse:
Isabel Delancey, uma mulher frágil e ainda jovem, alheada das vicissitudes do dia-a-dia, vivia para a música - era violinista numa orquestra sinfónica.O que a prendia à realidade era o amor que sentia por Laurent, o seu marido. Quando este morre num brutal acidente, Isabel vê-se obrigada a confrontar-se com a terrível situação financeira em que o marido deixou a família e a assumir o papel de mãe que sempre tinha sido desempenhado por uma ama.A Casa Espanhola, uma propriedade que herda inesperadamente, sendo uma fonte inesgotável de problemas, vai ser ao mesmo tempo um desafio à sua coragem e determinação, transformando Isabel numa mulher madura.Ali, vai encontrar uma solidariedade inesperada, um rancor visceral e o amor.
Boas leituras

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Because of Miss Bridgerton

A principio, no inicio apresenta-se duas personagens, Billie e George, muito chatinhas e pouco interessantes presos num telhado por causa de um gato :) A situação é engraçada mas o resto não. A partir daqui começa o romance propriamente dito e até os diálogos entre eles são engraçados enquanto se picam.
Sinopse:
Sometimes you find love in the most unexpected of places...This is not one of those times.
Everyone expects Billie Bridgerton to marry one of the Rokesby brothers. The two families have been neighbors for centuries, and as a child the tomboyish Billie ran wild with Edward and Andrew. Either one would make a perfect husband... someday.
Sometimes you fall in love with exactly the person you think you should...Or not.
There is only one Rokesby Billie absolutely cannot tolerate, and that is George. He may be the eldest and heir to the earldom, but he's arrogant, annoying, and she's absolutely certain he detests her. Which is perfectly convenient, as she can't stand the sight of him, either.
But sometimes fate has a wicked sense of humor...Because when Billie and George are quite literally thrown together, a whole new sort of sparks begins to fly. And when these lifelong adversaries finally kiss, they just might discover that the one person they can't abide is the one person they can't live without... 
Boas leituras

sexta-feira, 14 de abril de 2017

The book thief

Livro engraçado pela forma como é contada a história, o seu tempo histórico é passado maioritariamente durante a Segunda Grande Guerra e nos mostra o lado alemão no seu dia-a-dia com as suas pessoas, desejos e receios. Relata a falta de trabalho para alguns alemães, a fome existente, os raides aéreos, o trabalho das classes mais baixas, a separação das pessoas (comunistas, judeus... e esqueceram-se dos não-apoiantes à causa Hitler).
O narrador em toda o livro é caricato, é a morte a falar. A morte fala connosco como se fossemos amigos e todos amigos, um tipo porreio e cheio de humor, que conta um pouco de si ao mesmo tempo que conta a história da menina que roubava livros, do que a morte gosta: cores, do que gostaria de se queixar: o seu trabalho, muito dele nesta altura de guerra. Por outro lado conta os mortos, passagens e vislumbres da vida dessa pessoa que entrou em contacto com Liesel, a menina dos livros alheios, e como eles vão morrer para os leitores antes mesmo de acontecer já revela o fim, de forma espaçada, o que deixa pouco para desvendar quando chega o momento (e pode tornar-se muito chato).
O tom do livro é leve tenta mostrar que mesmo dentro da Alemanha da II Guerra vozes discordantes existiriam mas o assunto é melindroso.
Sinopse:
It is 1939. Nazi Germany. The country is holding its breath. Death has never been busier, and will become busier still.
Liesel Meminger is a foster girl living outside of Munich, who scratches out a meager existence for herself by stealing when she encounters something she can’t resist–books. With the help of her accordion-playing foster father, she learns to read and shares her stolen books with her neighbors during bombing raids as well as with the Jewish man hidden in her basement.
In superbly crafted writing that burns with intensity, award-winning author Markus Zusak, author of I Am the Messenger, has given us one of the most enduring stories of our time.
Boas leituras

Cartão em aguarela

pequeno ouriço, pintado com aguarelas, para futuramente colocar num cartão :)