domingo, 19 de fevereiro de 2017

A Rainha Cativa

Leitura empolgante, cativa o leitor pela sua simplicidade, levando-nos ao possível dia a dia sobre a futura rainha Isabel, protestante moderada, e o clima da época durante o reinado de Maria, católica, extremista (conhecida como Bloody Mary) até esta última ser deposta da coroa.
Não nos é apresentado diretamente mas sim pelas vivências e ações de Honor, a sua aia, e apoiante da causa protestante e do reino inglês. Honor foi igualmente aia da rainha Catarina, mãe de Maria aquando do divórcio desta com o rei Henrique VII, e condenada à fogueira por heresia,  E ainda outras perspetivas, como mestre tecelão,  seu marido, Richard, e seu enteado, Adam, marinheiro e construtor de barcos.

Sinopse:
Inglaterra, 1554. No rescaldo da fracassada Revolta de Wyatt, uma rainha Maria vingativa manda capturar e executar todos os conspiradores. Entre os detidos encontra-se a irmã, Isabel, de vinte e um anos. Isabel declara-se inocente, atitude que intensifica ainda mais a raiva de Maria.
Isabel anseia por recuperar a liberdade - e conquistar a coroa da irmã. Em Honor e Richard Thornleigh e no filho de ambos, Adam, a jovem princesa encontra aliados leais. Revoltada com a intenção proclamada por Maria de queimar todos os hereges, Honor visita Isabel, presa na Torre, e as duas mulheres tornam-se amigas. E quando Adam desmascara um potencial assassino, a gratidão de Isabel transforma-se numa atracção forte e mútua. Mas embora Honor esteja disposta a pôr em risco a sua segurança pela futura rainha, a participação numa nova revolta contra a impiedosa Maria obriga-a a fazer uma escolha impossível…
  
Boas leituras

Sem comentários:

Enviar um comentário