quinta-feira, 6 de novembro de 2014

O Quarto de Jack

No  inicio achamos engraçado aquilo que lemos, rimos até, mas existe algo que não está bem, não conseguimos apontar exactamente o quê. Substantivos com maiúsculas no meio de uma frase, dá que pensar. Mas está lá. Inocente e cândido. Tudo na vida de Jack é feito de brincadeiras: trautear, trampolim, a cama que range, o rei manda...
 Protegido, não consegue perceber as diferenças entre o Espaço Lá Fora e o Quarto. Admito não ter filhos mas acho que certas partes do livro são difíceis de engolir, pelo seu lado emocional, para mim que não os tenho quanto mais para aqueles que têm, provavelmente não acabarão o livro.
 Livro não pequeno (386) mas de leitura rápida, excepto quando nos emocionamos. Acho-o muito imaginativo e dou os parabéns à autora pela perspicácia, imaginação e sabedoria em escrevê-lo.

Sinopse:
Original, poderoso e soberbo, Jack é inesquecível: a coragem e o imenso amor numa história perturbante contada pela voz da inocência.
Para Jack, de cinco anos, o quarto é o mundo todo. É onde ele e a Mamã comem, dormem, brincam e aprendem. Embora Jack não saiba, o sítio onde ele se sente completamente seguro e protegido, aquele quarto é também a prisão onde a mãe tem sido mantida contra a sua vontade. Contada na divertida e comovente voz de Jack, esta é uma história de um amor imenso que sobrevive a circunstâncias aterradoras, e da ligação umbilical que une mãe e filho.
O quarto é um lugar que nunca vai esquecer; o mundo é um sítio que nunca mais olhará da mesma maneira.
Boas leituras

Sem comentários:

Enviar um comentário