quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

A Ilha dos Amores Infinitos

Leitura lenta devido a quantidade de personagens e seu passado histórico mas agradável, após entrarmos no ritmo e sabermos quem é quem. Livro aparentemente confuso que nos impressiona com os seus animais míticos e referências pagãs no meio do passado de Havana e um dos locais de fuga de seus cidadãos, Miami. Alterando entre o momento presente e Cecilia, e o passado com as histórias de Amalia, contadas num bar cheio de fumo. 
Existem três conjuntos de personagens, dois no momento passado, e um no momento presente. Este conjunto de personagens do passado, personificação de emigrantes que chegaram a Cuba, que ajudaram a criar a cultura, imigrantes que foram para a ilha em busca de melhor vida, temos uma parte de origem africana, outra de origem chinesa e outra ainda de origem espanhola. Começaram a casar entre si, apesar do preconceito entre as várias origens diferentes, dando resultado à mistura que conhecemos como Cuba.
O elemento condutor ao longo do livro é Cecilia, jornalista de profissão, procura reportagens e cai em cima de uma casa-fantasma, que muda de sitio a cada data histórica, que se diz não cubana mas sofre daquilo que poderiamos chamar de saudades ao quadrado: da sua terra, Cuba, da sua cidade, Havana, da sua familia que por lá está, da cultura riquissima em termos de música e dança.
A história do passado, com a fuga para uma vida melhor, diferenças num pais novo, tem mais enredo e vivacidade do que no momento presente, algo depressiva e monotoma.
Sinopse:
A Ilha dos Amores Infinitos é uma trepidante saga histórica sobre três famílias pautada por elementos mágicos. Cecília, uma jornalista cubana refugiada em Miami tem em mãos um trabalho de investigação sobre uma casa assombrada. Certo dia entra num bar e conhece uma anciã, encantadora contadora de histórias que a leva a recuar no tempo até ao século XIX. O objecto das suas conversas concentra-se em três lugares do mundo: um suicídio na China, uma estranha maldição que persegue determinadas mulheres de uma povoação em Espanha e uma jovem arrancada da sua casa na costa africana e levada para um mundo desconhecido. Decisões inesperadas e descobertas incrédulas são reveladas ao longo do livro, um romance inspirador de esperança e sonhos desfeitos. O passado é continuamente entrelaçado com o presente até ao momento em que finalmente se encontram quando as personagens conhecem o seu destino. O género que escolheu diferencia-a de outros escritores ao explorar zonas escondidas da mente humana como a consciência, elevando Chaviano à categoria dos autores mais conceituados no seu país.
Boas leituras

1 comentário: